11.08.2006

Quando te digo que te amo

Quero ouvi-lo também de ti.
Porque o amor não sobrevive sem ecos.

33 Comments:

At quarta-feira, 08 novembro, 2006, Blogger Xana said...

E mesmo quando há ecos, pode ser difícil.

 
At quinta-feira, 09 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Depois de muitas emails e perguntas... se eu estou bem? Está tudo perfeito. Fico contente por ver que se preocupam com a minha felicidade. :)
Está tudo óptimo, apenas gosto de escrever melodramas, ou melhor dramas melosos. :P

Para quem me acompanha a vida, os amigos mais próximos, é fácil saber quando um poema é factual, e quando é ficcional. Mas percebo que possa gerar confusao. :)

Escrevo para vos tocar e para vos fazer sentir. Tento. Para vos fazer pensar. Nem sempre é para desabafar. :)

Muitos beijinhos,
Adoro os vossos comentários.
Sof.

 
At quinta-feira, 09 novembro, 2006, Blogger Sandro said...

Tentas e consegues...
Ontem li este teu post, ao lado do meu "eco", a minha reacção foi apenas esta: -"É mesmo isto!"

E é! Um "amo-te" não sobrevive sem um "eu também te amo"...
Escreves como ela me disse que escrevias.
Um beijo

 
At quinta-feira, 09 novembro, 2006, Blogger Pri said...

Simples..!

Haja ecos! :)

Sofia, já retirei o "Palavras Escritas" e agora está este online.

Keep goin' Kisses

 
At quinta-feira, 09 novembro, 2006, Anonymous snark said...

qd ja pensamos q conhecemos tudo, qd sabemos por onde podemos passar qd chove, qd antecipamos a resposta á pergunta e ficamos com aquela sensação de ter parado no tempo, eis q se abre um lago no chão e é lá q colocamos o pé

 
At sexta-feira, 10 novembro, 2006, Blogger Stranger à la carte said...

...,nem sem pedidos de dor camuflados de beijos.
Quero ouvi-lo, porque desejo!

 
At sábado, 11 novembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

o amor é uma estrada com dois sentidos... é perigoso andar em contramão...

tu sabes...

jinhos

Nuno

 
At sábado, 11 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Beijinho para ti, Sandro e para a Martinha.
:)

 
At sábado, 11 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Pri, já tenho o teu novo blog linkado. :) Beijinho.

 
At sábado, 11 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Snark... gosto muito dos teus comentários.
Tens razao, quando pensamos que já nao caímos noutra, caímos de outra maneira, mas caímos. E depois levantamo-nos sempre mais depressa. Beijo.

 
At sábado, 11 novembro, 2006, Blogger SerendipityMan said...

E que a pessoa que diz o "amo-te" o faça numa sala grande e vazia...( faz mais eco! )**

 
At domingo, 12 novembro, 2006, Anonymous snark said...

só caimos para nos podermos levantar.
eu já cai mt vezes

 
At domingo, 12 novembro, 2006, Anonymous RSC said...

Já não se usa.. hoje em dia é apanágio da gente pequenina que o vulgarizou. Bonito é dizer um, Gosto de ti, entre dois silêncios. Um antes, outro depois.

 
At domingo, 12 novembro, 2006, Blogger Pedro Gamboa said...

Que bonito…
O amor não sobrevive…

Beijinho

 
At segunda-feira, 13 novembro, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

É preciso um coração cheio para fazer ecoar o amor no vazio. Mas, como pode estar algo onde ecoa amor estar vazio?

Será isto a lógica da batata? Mas como poderá uma batata ser lógica?

Não vou a lado nenhum com esta conversa. Mas iria esta conversa a algum lado sem mim?

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Anonymous snark said...

a insustentavel leveza do ser

não te devia ter conhecido...
- pq?
antes a serra era imensa, agora é demasiado pequena.
não te devia ter conhecido...
- pq?
antes o céu estava distante, agora está demasiado perto.
não te devia ter conhecido...
- pq?
antes o mar era um oceano, agora é um lago.
não te devia ter conhecido...
- pq?

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

RSC,
Dizes que o amo-te é usado entre gente pequenina?
Como é que gente pequenina pode dizer amo-te? O amor é grande. (mho) Gosto de ti, amo-te, quero-te, tantas outras coisas, podem ser palavras grandes ou pequenas, dependendo da verdade que trazem nelas.

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Sérgio, há muito que nao te lia aqui. :)
Beijinho. Ah, pela batata não ter lógica alguma é que dizemos lógica da batata... I guess. Tipo, vou deixar-vos o que para mim é uma grande lógica da batata:
Deus é amor e toda a gente sabe que o amor é cego. O Stevie Wonder é cego... logo o Stevie Wonder é Deus.
:) Beijinho grande.

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Snark,
bonito esse poema. Respondendo hipoteticamente, acho que devias. Tudo tem uma razao de ser, nem que seja no fundo, bem lá no fundo do oceano. ;)
Beijinho amigo.

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Xana, é uma boa verdade essa. Mesmo quando há ecos, pode ser muito difícil. Há tantas coisas alheias ao som.
Beijinho grande.

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Anonymous joaozinho said...

O problema é que sobrevive... :)
beijinhos

 
At terça-feira, 14 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Joaozinho, nao deixes que isso seja assim. So faz mal, e o amor faz bem.

 
At quarta-feira, 15 novembro, 2006, Blogger ziquiteco said...

Ainda quanto à lógica da batata, reza a história que a versão original é assim:

"Se é verdade que a batata grela, porque é que o grelo não batata?"


That is all.

 
At quarta-feira, 15 novembro, 2006, Blogger Sandro said...

E quando não se ouve de volta, mas se ama da mesma forma?!

Acreditas que há várias formas de amar, e que quando dizes que amas, o silêncio da outra pessoa pode ser a resposta?

E como se lida com isso? Com esse silêncio?

 
At quarta-feira, 15 novembro, 2006, Blogger Caroço said...

Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

;-)

Kisssss baby, é sempre bom vir aqui "ler-te"!!

 
At quinta-feira, 16 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Sandro, olá :)
Eu acredito que há muitas formas de amar, sim...
O psicopata que mata a mulher amava-a, ao ponto de se ela nao pode ser dele, nao será de ninguém.
Há amores verdadeiros, egoístas, doentes, suficientes. Cabe-te a ti saberes o que procuras. Tudo o resto nao te deve satisfazer. Se só houver silencio, como sabes se há uma voz?

 
At quinta-feira, 16 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Tiago :)
É sempre bom saber que me les. Muitos beijinhos.

 
At quinta-feira, 16 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Eu pensava que batatava. Corte de paradigma. ;)
Beijo, Zik.

 
At quinta-feira, 16 novembro, 2006, Anonymous joaozinho said...

Opa!

não acredito nesses amores doentios, isso tem muito a ver com orgulho não é ?

E acho que esse é um sentimento que não se enquadra.Nada deve ser forçado, não funciona.

No fim de tudo gostar de alguém é querer que o outro seja feliz.
Para saber gostar de alguém também temos que saber gostar de nós...

Este ano há festa de anos?

 
At sexta-feira, 17 novembro, 2006, Blogger Zofia said...

Exacto Joaozinho.
Amar é querer a felicidade do outro.
Beijinho grande.
:)
Há festa sim! :) Para os lados do bairro alto.
E tu? :P

 
At sexta-feira, 17 novembro, 2006, Anonymous fishermanoflas kacaranguejos said...

ecos é coisa que não há no alto mar. o mar é vasto e não tem paredes. mas ainda me lembro disso, ou não?...

 
At domingo, 19 novembro, 2006, Blogger tiago lila said...

acho que é a mais pura das verdades! o amor unilateral é das coisas mais desestruturantes e estar bem com ele é utópico.

 
At domingo, 07 janeiro, 2007, Blogger Apsara said...

Como é verdade...eco e que seja mais alto e grandioso que o nosso!!

 

Enviar um comentário

<< Home