9.06.2006

Uma brisa leve ou um vento vago

E a ti, o que te faz chorar?

29 Comments:

At quarta-feira, 06 setembro, 2006, Blogger Luisa Santos said...

uma mentira caridosa mais do que uma verdade dura.
uma janela de vidro mais do que uma porta trancada.
um meio sorriso mais do que um choro compulsivo.
uma incerteza mais do que qualquer certeza.

e tantas coisas. choro muito. mas rio mais do que choro, sou uma sortuda ;-)

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger Stranger à la carte said...

depende de onde me acerta a areia

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger ziquiteco said...

hey, q belo tens ali à direita (o 5º a contar de cima)... até logo.

Thx.

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger mole said...

Aquela parte do Eternal Sunshine of the Spotless Mind em que ele esta a enfrentar o limite da fuga, em que esta quase encurralado, nas suas memorias de quando a conheceu na casa da praia. Naquela parte em que ele lhe pergunta porque foi ela tao ma para ele, dizendo "vai-te embora então". E em que ela lhe responde que não foi por mal, e que ele poderia ter ficado. E ele responde: "mas não fiquei..." E ela diz-lhe: "mas fica entao desta vez"

Naquela parte que me fez lembrar o porque de me lembrar de tudo isso, da espera antes de entrar para a sala no cinema, do que vestia nessa noite, no quanto me perdi pela cidade a pensar no porque de ja nao sermos um, no quanto ainda significas por ainda disso me lembrar... Naquela parte que me faz sentir menos ma pessoa, porque afinal de contas, consegui mesmo amar-te... mesmo quando achavas que eu nao conseguia gostar de ti...

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

A cebola, culinariamente; o telejornal da TVI, informativamente; a Floribella, ficcionalmente; a derrota, desportivamente e as emoções, secretamente...

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger João said...

um vento frio nos olhos, por exemplo.

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger [ we ] said...

as tuas palavras.
um por do sol. a raiva. uma paisagem esmagadora. uma boa piada. tambem o amor. no momento do extâse... são as lágrimas mais puras.

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger jota said...

descascar uma cebola, um cisco no olho, as revistas cor-de-rosa...

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Antes de mais um :) para todos, e um beijinho grande para o (we), obrigada. :)
As cebolas só nos fazem ficar com os olhos molhados. Mas se passarem a cebola por água quente antes de a cortar, melhora. De qualquer modo, acho que muitas pessoas usam a cebola como um pretexto para desatarem a chorar porque o namoradinho deixou de telefonar, ou porque no trabalho o boss gritou desta vez, ou porque se desobriu que afinal o padeiro é que é o pai...

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Mole, muito bonito o que escreveste. Também já tive uns dias assim. E quem nunca teve?
Sempre que uma coisa acaba, é para dar lugar a outra. Só temos de saber deixar as coisas acabar, em vez de lhes prolongarmos a vida, ligando-as a uma máquina. ;)
Beijinhos.

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Ziquiteco, podia dize-lo em voz alta mas aqui vai escrito: De nada.
;)
Beijos.

 
At domingo, 10 setembro, 2006, Blogger Sandro said...

Um por-de-sol numa praia (quase) deserta...

 
At domingo, 10 setembro, 2006, Anonymous franchesko said...

boys don't cry

*

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger Pedro Gamboa said...

Uma música de Jorge Palma, ou uma bela tirada de Óscar Wilde, podem por vezes fazer-me chorar.
Mas o que mesmo me faz chorar, são fortes provas de amizade entre amigos ou familiares.

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Sentir aquele arrepio que nos beija a alma....

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Sandro e Star, adicionei os vossos blogs ao meu. :)
Sejam bem vindos aqui.
Beijinhos.

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Franchesko,
Já há muito tempo que nao comentavas, mas também há muito tempo que o blog nao tinha coisas novas, ehehehe. Por isso, e só por isso, estás perdoado.
Beijinhos.

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

o que perdi quando te deixei fugir!

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous Rui R said...

A propósito de tudo e a propósito de nada, e ainda falando também para mim que não aprendo, digo-vos, a quem me quiser ouvir: Vivemos tão preocupados com o que não temos e com o que poderiamos ter, que esquecemos o que temos ao nosso lado. Depois perdemos o que tínhamos, e mais uma vez vivemos tão preocupados com o que perdemos, com o que podíamos ter continuado a ter, que esquecemos mais uma vez do que ainda temos. Que ciclo de desperdício...
Muito bom blog, já está nos meus favoritos. Keep on the good work.

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous Rui R said...

Será que não dá para reaver? Muitas pessoas não chegam a saber, porque só se lamentam com o que acabou de acontecer.

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Anonymous? És o mesmo que falou do cata-vento?
O que vos custa deixar um nome... :P
É tipo, assinarem só Joao (sem remeterem para nenhum link), e depois termos quatro mil e dois nomes iguais...
Fico toda baralhada para responder aos comentários. :)

E by the way, porque é que deixas isso escrito no meu blog, quando me podes dizer ao vivo? Ou nao podes?
Beijinhos grandes para ti. :)

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

I wish I could... too late for that

 
At domingo, 17 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Quando se guarda tudo dentro de nós, algo se perde...

 
At domingo, 17 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Olá Rui R, gostei do que escreveste. És novo por aqui?

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Anonymous Rui R o velho said...

Sou um velho nos blogs, novo no teu.

 
At terça-feira, 26 setembro, 2006, Blogger JM said...

Queres saber o que me faz chorar? Now at last da Feist.

Beijinhos!

 
At domingo, 29 outubro, 2006, Blogger tiago lila said...

e a ti, o que te faz chorar?

 
At domingo, 19 novembro, 2006, Blogger feio said...

A ausência...

 
At domingo, 22 abril, 2007, Anonymous Luís Saraiva said...

Por vezes o que aqui deixas escrito...
Parabéns por isso!

 

Enviar um comentário

<< Home