9.04.2006

Os meus dias só contam quando estás

Passei a noite toda sem dormir
A tentar enganar-me
A tentar convencer-me de que estavas aqui ao pé de mim

Passei a noite toda sem dormir
A sonhar que a minha perna era a tua
Que a minha mão era a tua

Às vezes penso que preferia não ter de te encontrar
Para não ter de te deixar
Porque os meus dias só contam quando estás

Pergunto-me a mim mesma devagar
Quando vens para ficar?

22 Comments:

At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger Carrie said...

Eu passei uma noite como a tua...
:(

 
At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger Stranger à la carte said...

tava a ver q n voltavas...ja tava c saudades..grandes ferias hein

bjinhos

 
At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger pikiewikie said...

Welcome back :) os teus posts de uma tristeza melancólica onde roça a alegria por se poder sentir tudo aquilo, desculpa se não concordas com a minha "percepção" daquilo que escreves, começavam a deixar umas saudades dificeis de encontrar no universo da blogosfera algo que se equipare.
*`s

 
At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Pikiwikie, exageras, a blogosfera é tao grande...
;) Mas sabe bem ler os teus exageros. Espero que venhas sempre que possas. Também passo os olhos pelas tuas gavetas, bem mais organizadas que as minhas. :) Muitos beijos.

 
At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Normalmente quando escrevo sou melancólica, como disse o Pikie, e parece que tudo corre mal, e que os amores sao sempre desencontrados, e tal e tal... Nao sei explicar. Mesmo muito bem e muito apaixonada, sentindo tudo perfeito, sempre que escrevo resvalo para a dor. :) A minha vida é óptima, e tudo corre bem. :)
Lamento ler, C, que te identificaste com o poema. Nao sofras. Aproveita os momentos, e tenta saber o que queres para ti. E depois segue o que sentes. Resulta sempre. :)
E nao se preocupem comigo, quando eu estou triste, nem escrever, escrevo.
Claro que escrevo sentimentos reais também. Mas e o que é a realidade?
Bem, neste caso, tudo o que seja triste é imaginado.
:) Espero que as vossas férias tenham sido perfeitas. As minhas foram. :)

 
At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger Luisa Santos said...

Vem em breve. Sabes que a luz atrai mais luz? Sabes. Nem sei por que pergunto ;-)
É bom ver-te Feliz. É contagiante.

 
At segunda-feira, 04 setembro, 2006, Blogger Ana Nc said...

aii este blog é qq coisa...
ninguém escreve muito sobre momentos muito felizes.
bj'inho zofia*

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Anonymous snark said...

terá sido o aniversário do meu mano q me tolda a mente ou este blog transpira realmente amor por todos os poros? umas fériazitas e perdi uma potencial namorada. lol.
acho q é amor. só o amor deixa as pessoas confusas e algo melancólicas qd sentem a ausência.
várias vezes tentei definir o amor. nunca consegui. pensei q fosse eu, pensei q fosse a lingua, sei lá. o mais próximo q consegui chegar foi ao ler jacques prevert. para a zofia e para o zofio.

Pour toi mon amour

Je suis allé au marché aux oiseaux
Et j'ai acheté des oiseaux
Pour toi
Mon amour
Je suis allé au marché aux fleurs
Et j'ai acheté des fleurs
Pour toi
Mon amour
Je suis allé au marché à la ferraille
Et j'ai acheté des chaînes
De lourdes chaînes
Pour toi
Mon amour
Et je suis allé au marché aux esclaves
Et je t'ai cherchée
Mais je ne t'ai pas trouvée
Mon amour

Jacques Prevert

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Ana Nc, obrigada. Também passo pelo teu re-think :) Adoro Fernando Pessoa ;)

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

vida demente
que se entranha por entre toda a minha pele.
luar escuro que reteve a luz de minha vida na vida de outro alguém.
amor perdido com luz apagada e luar docemente escuro...
escuro como eu...somente eu, perdido esquecido e apagado...
porque tu não vens e eu espero...toda a
minha pele se lembra de todos os teus toques mas a vida, essa parece esquecer-se de tudo o que juntos vivemos porque não dá uma oportunidade para voltar a ter a luz que acende o luar como o interruptor acende a lampada da luz do amor.

André Rocha (5/09/2006)

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Blogger [ we ] said...

adoro a beleza da tua "tristeza".
pela forma. e pelo conteudo, que pressupoe uma alegria imensa por detrás.
tbm vivo assim...

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Snark Potencial,
parabéns ao teu mano. Sempre escrevi sobre o amor, tentei escrever sobre o amor, e só agora é que anda tudo a falar do Zofio. Tem uma certa piada.
Se eu escrever sobre mortes, nao me prendam porque nunca matei ninguém. Tirando aquela velhota na passagem de peoes, mas a culpa nao foi minha, ela é que foi demasiado lenta a atravessar.
Beijinho grande.
Sofia.

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Blogger ziquiteco said...

tenho para a troca sim senhora.
polibolota.blogspot.com

do anti-social-atrás-de-ti-com-phones

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Blogger Caroço said...

já todos passamos por isso.. nice Zofia, tiveste bem.. ;-)

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Anonymous Tiago said...

«A poeta é uma fingidora...» (Fernanda P.)

(Querias um comment, criei-te um comment) ;)

 
At terça-feira, 05 setembro, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

Eis que volta. Visto que noites sem dormir equivalem a dias a pensar em fazê-lo fico-me pelo já muito plagiado:

Welcome back girl

 
At quarta-feira, 06 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Caroco, há muito que nao deixavas aqui as tuas palavras.
Este fim de semana devemos nos ver at Lux. Beijinho, já nao ponho lá os tenis-bota há bue. :)

 
At quarta-feira, 06 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

André Rocha, adorei o que escreveste.
Beijinho.

 
At quarta-feira, 06 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Snark, houve um problema com o teu último comentário, nao o consegui publicar. Se quiseres, faz o favor de escrever de novo. Beijinho.

 
At quarta-feira, 06 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Tiago,
Finge tão completamente, que chega a fingir que é dor, a dor que deveras sente. ;)
Beijinhos.
Tiago que? Para escrever a informacao na tua ficha de leitor activo. :)

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Anonymous snark said...

não consigo. o problema da escrita e da vida em geral, é q não permite replays. no máximo conseguimos aproximações

 
At quinta-feira, 07 setembro, 2006, Anonymous Tiago said...

Tiago Rosa (podes pôr assim na tua lista)

Descobi que, em versão feminina, também dá para pôr o poema a rimar:

A poeta é uma fingidora
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor a
Dor que deveras sente.

Rima própria de um modernista! :P Logo eu que nem ligo a rimas, eheh.
Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home