9.13.2006

Sinto-me uma criancinha com varíola

Dizia eu que não acredito em amor à primeira vista.
Mas Salvador Dali já desenhava a figura de Gala antes mesmo de ter falado com ela. E mesmo depois de Gala ter morrido, nunca nenhuma outra chegou para a substituir. A Gala não era um pneu furado.
Mas dizia eu que não acredito em amor à primeira vista. Por isso, acho que nem sei como te explicar. Conheces o método de vacinação usado pelos antigos chineses contra a varíola? Estranhamente, eles trituravam as cascas das feridas provocadas pela doença, onde o vírus estava presente apesar de morto, e através de um cano de bambu, sopravam esse pó para dentro das narinas das criancinhas.
Foi assim que me senti. Como se te tivesses soprado para dentro das minhas narinas, quando disseste olá e te apresentaste. Senti o cheiro das tuas palavras e como quem estala o polegar e o dedo médio, inclinaste-me para ti. Apeteceste-me, e como uma maçã verde, depois de mordida, espalhaste-te dentro da minha boca livremente.
Pois é, dizia eu que não acredito em amor à primeira vista. Por isso, passa por mim outra vez.


Dali. The Persistence of Memory (1931). Também chamado de Soft Watches ou Melting Clocks. Contra a ideia de que o tempo é rígido ou determinante.

17 Comments:

At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Anonymous Pedro L A said...

I lost myself on a cool damp night
I gave myself in that misty light
Was hipnotized by a strange delight
Under a lilac tree....

Lilac wine is sweet and heady,
like my love,
Lilac wine, I feel unsteady,
Like my love...

Jeff Buckley

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Segundos que parecem horas. Horas que parecem minutos.

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

Sempre achei que o tempo era moldável, rígido apenas na sua marcha. O que tu fazes com ele é moldado em cada segundo, seja a fazer o que fôr. Nem que seja a passar uma e outra vez por alguém que resista à primeira vista, até que esse alguém desista de esse ponto de vista ;)

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Under a lilac tree... tao giro. :)

Aproveito para dar um olá aos meus leitores passivos, que mesmo nao comentando, fazem-me ficar feliz porque me leem. :)
Só com o contador é que consigo ter uma ideia de quantos olhos passam pelas minhas palavras, depois divido por dois e tenho o número de pessoas. :P Hoje estou insuportável.

Um obrigada com beijinhos.

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger [ we ] said...

tenho saudades de ser contagiado. de me apaixonar ao primeiro olhar. daqueles olhares que param o tempo durante uns segundos...

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Anonymous Pedro L A said...

Um leitor nunca é/será passivo. Ler é uma atitude ou na menor das hipóteses uma actividade.

Passividade seria sinónimo de indiferença, e isso...nunca!

Obrigado pelos beijinhos, que com uma chuva destas (e mesmo sem ela) sabem bem.

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Anonymous RSC said...

Em crescendo. Estás em crescendo...

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous pdcdalaska said...

dizem que a solidão provoca alucinações com formigas...felizmente não é esse o teu caso. Por falar nisso, tenho um algo para ti que trouxe dos grandes lagos do sul...

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous alaska crab fisherman said...

acho que uma vez um professor de economia perguntou à turma qual seria , de todos os bens, aquele que se gastava mais...a resposta categórica perante a ignorância dos alunos foi "o tempo".
economistas....

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Fisherman, temos de combinar entao. Também trouxe uma lembranca das montanhas brancas para ti. :P Mas temos de ser rápidos. Limitado ao stock existente.

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Pedro, olá :) percebo o que queres dizer. :) Mas eu só sei que tenho mais do que cinco leitores (estou a fazer-me de vítima) porque agora uso o contador de leitores.
Contador de leitores é bonito, eheheh...
E eu posso ser uma fumadora passiva e nao ser indiferente ao fumo. ;)

Um beijinho grande para todos os leitores, dito antes assim: os que comentam, e os que nao comentam. :)

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Blogger pikiewikie said...

E com este Post veio-me à reocrdação um tua frase que já li: Acredito no Amor!
Kisses

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Kisses, Pikie :)

 
At sexta-feira, 15 setembro, 2006, Blogger ? said...

ah! Zofia... conquistaste a minha manhã! mas eu acredito em amores à primeira vista e mais que isso... amores á primeira palavra. ( um dia explico)
abraços,
?

 
At sexta-feira, 15 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

? :)
Eu também acredito em amores à primeira vista. E mesmo quando a mulher do poema diz que nao acredita e acaba de pedir para que ele passe por ela outra vez, é para poder admitir que é amor sem admitir que foi à primeira vista. Foi esta a minha intencao. A ideia da mulher do poema. :)
Um dia, explica. :)
Beijinhos. :)

 
At terça-feira, 19 setembro, 2006, Anonymous Bru said...

nao ha coisa mais verdadeira!! mais uma boa surpresa! mais um sorriso :)

 
At domingo, 29 outubro, 2006, Blogger tiago lila said...

uau!

 

Enviar um comentário

<< Home