9.11.2006

Porque ainda vais a tempo

Ainda ficas parado a olhar para a neve a cair?
Ainda queres tocar em tudo?
Ainda gritas quando estás feliz?
Ainda te deixas ficar encharcado à chuva?
Ainda te sentes a corar quando te despem de pensamentos?
Ainda gritas numa casa vazia para ouvires o eco da tua voz?
Ainda acordas com vontade de brincar?
Ainda te ris sem conseguires parar?
Ainda fazes castelos na areia?
Ainda acreditas em contos de fadas?
Ainda te apaixonas como se fosse a primeira vez?
Ainda corres para chegares mais cedo?
Ainda queres saber tudo?
Ainda te faltam as palavras?
Espero que ainda digas que sim.

Admiro os que nunca se habituam ao mundo.

42 Comments:

At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger mole said...

A neve já não cai tantas vezes assim... já não há muito que me reste para tocar, estar feliz é uma coisa rara, a chuva cai sem parar, mas não encharca... alguém que viesse para me despir os pensamentos, casas vazias houvesse para poder gritar a fúria e frustação que carrego em mim... sinto-me constantemente a dormir, não consigo acordar.. rio-me e páro... os castelos leva-os a água e as fadas leva-as o tempo... já nem me lembro da minha primeira vez... não porque chegar, não há porque saber... e as palavras há-as demais, sempre erradas por sinal... e digo muitas vezes que não. Mas não me habituo de forma alguma a este mundo ;) E tudo o que escrevi não é de forma alguma o que sinto - SHINE ON !!!! ;)

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger [ we ] said...

ainda me deixo encantar. :)

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Eu também. :)

 
At segunda-feira, 11 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Mole, adorei...

 
At terça-feira, 12 setembro, 2006, Blogger Pedro Gamboa said...

Sim! Com muita força sim! È tão ainda poder dizer que sim!
Penso que é difícil definir viver, mas este teu post anda lá bem perto…

 
At terça-feira, 12 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

O vento tanto fazia girar um galo dum cata-vento,
q ele não podia segurar o rabo para cima.
A geada tanto enregelou o tordo,
q ele não conseguia apanhar um caracol.
"O meu caso é grave", gritou o tordo.
"Tudo é vão", respondeu o galo.
E, assim, ambos soltaram o seu lamento.

 
At terça-feira, 12 setembro, 2006, Blogger ziquiteco said...

não.
sim, cada vez mais, em tudo.
hmm... não.
aaa-aaat...siim!
si.
às vezes.
Oh, sim, sem dúvida.
sim.
não.
não.
infelizmente, sim.
nunca.
não.
muitas vezes.

 
At terça-feira, 12 setembro, 2006, Blogger Copyleft said...

Querer sempre saber e sentir mais não tem nada que saber e eu sei do que falo.
E sabendo disso sei que sabes como é sentir-se assim, porque já sabias que és assim, mesmo antes de saberes o que sabes hoje.
E, porque para quem é assim, o que soube ontem a muito, hoje já sabe a pouco, despeço-me sempre na expectativa de ficar a saber mais ;)

 
At terça-feira, 12 setembro, 2006, Blogger Sandro said...

Será que me acreditam se eu disser que sim?..

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Anonymous, pensas mesmo que tudo é em vao?

És novo por aqui? :) Bem vindo. Ou bem vinda. Ou Benvinda, se esse for o teu nome ;)

Beijinhos.

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Sandro, acho que nao interessa se acreditamos, se tu acreditares. :)
Beijinhos.

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Star, beijinhos ;)

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Ziquiteco,
Mas devias...
Se partir, pagas.
Porque?
Santinho.
Como é que tu podes corar? :P
Eu também.
Ping-Pong?
É tao bom.
Na Ericeira, em Julho, com túneis e tudo.
Pois devias, porque eles existem. E fadas também.
Felizmente, diz antes assim.
Devias :P às vezes perdemos, por demorarmos tempo demais.
Ehehehe.
Quando?

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger zaok said...

sim sim sim

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Boa. Boa. Boa ;) Espero que esteja tudo bem contigo. Espero que esteja tudo bem contigo. Espero que esteja tudo bem contigo. Beijinho. Beijinho. Beijinho. ;)

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

haha,
tv um catalizador de blogs, ou seja, acelero as reacções sem me consumir nelas.
nada é em vão. tudo tem um propósito. o galo perdeu a postura mas catou o vento. o tordo enregelou mas aprendeu a lição. o caracol escapou e ficou na imensa história dos caracois como o único caracol q foi mais rápido que o tordo. aliás, esta história foi-me contada por um descendente desse caracol _@/

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Anonymous Pedro L A said...

Ainda Gosto, muito!

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Bonito caracol. Esses bichos devem ter uma paciencia...
Volta sempre que quiseres. :) Beijinhos.

 
At quarta-feira, 13 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Beijinhos Pedro. :)

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous pescador de alaskas said...

... e os que se habituam deviam passar uns tempos no alto mar; seja lá onde isso for....

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

I am
I try
I will
And I still miss

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous snark said...

lol.
o do cata vento acho q sou eu.
sempre de blog em blog como quem cata o vento. pelo menos por agora q me encontro no limbo tipico de quem muda de empresa. uma semana de dolce fare niente para organizar as ideias. como é possivel alguem ficar tão satisfeito com um simples contador?

 
At quinta-feira, 14 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

different anonymous
just someone who misses you

 
At sexta-feira, 15 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Beijinhos para ti, anónimo. :)

 
At sexta-feira, 15 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Snark Cata-Vento, como estás? ;)
Eu fico feliz com coisas que parecem pequenas, mas que podem significar coisas grandes :P
Tu, nao?
Beijinhos e boa sorte para essa nova etapa. :)
Eu também comecei uma há pouco mais que uma semana. :)

 
At sexta-feira, 15 setembro, 2006, Blogger Xana said...

:)

 
At sábado, 16 setembro, 2006, Anonymous snark said...

tou bem ou penso q estou :)
a questão profissional já estou habituado. foi só um desabafo.
senão ficasse feliz com as pequenas coisas achas q tinha reparado? os pormenores ou pormaiores...
"a sorte ajuda os audazes". acredito mais no destino. anda por aí qq coisa q é suposto fazer, mas ainda não descobri o quê. é como confiar no vento.
bons ventos para a tua nova etapa

 
At sábado, 16 setembro, 2006, Anonymous RSC said...

A expressão original é "Audaces Fortuna Juvat", vem do original da "Eneida" de Virgílio. "A Sorte Protege os Audazes". Sim, porque a sorte protege ou sorri mas não ajuda.

 
At domingo, 17 setembro, 2006, Anonymous snark said...

se protege ou sorri acaba por ajudar. mas dou o braço a torcer e aceito a tradução. "A sorte sorri aos audazes" é realmente a melhor. proteger não se coaduna mt com a minha pessoa. "qd a unica ferramenta de q podemos dispôr é um martelo, a nossa tendência é encarar todos os problemas como pregos"

 
At domingo, 17 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

E proteger ou sorrir, nao é isso também ajudar?
:) Beijinho para os dois.

 
At domingo, 17 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Anonymous said...
different anonymous
just someone who misses you


E quem é esse someone? Um sorriso meu por cada letra :)

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Anonymous snark said...

:) sobrou... o martelo é meu. aliás, acho q era mt mais feliz se os meus problemas se resumissem todos a pregos

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Anonymous RSC said...

"qd a unica ferramenta de q podemos dispôr é um martelo, a nossa tendência é encarar todos os problemas como pregos"

Isto é muito bom snark, quem disse?

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Rsc, é a caixa de ferramentas da prospectiva estratégica. Como eles dizem ainda, é o sonho do prego e o risco do martelo.
Beijinhos.

Beijinhos, Snark.

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Anonymous snark said...

rsc, sem ser mal interpreatdo, eu por norma não respondo, só comento ok.
quem o disse não sei. são frases q por vezes ecoam, como reminiscências de uma vida passada.
para mim não é suposto responder num blog. se quisesse perguntas e respostas estava numa sala de chat.
aqui falamos de fadas, pessoas encantadas, atormentadas. trocamos ideias, sonhos e receios. damos e recebemos. é só isso...

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Anonymous Maktub said...

São muitas e demasiado pesadas as letras que me pedes.

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Anonymous RSC said...

Zofia, vês o que dá quando uma pessoa vai contra a sua natureza. Está visto que não posso ser bonzinho.

Moi off.

 
At segunda-feira, 18 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

4 letras, serao muito pesadas? Porque é que nao falas comigo?

 
At terça-feira, 19 setembro, 2006, Anonymous Anónimo said...

Escancarei, por minhas mãos raivosas,
As chagas que em meu peito floresciam.
Versos a escorrer sangue eis escorriam,
Dessas chagas abertas como rosas.

Assim vos disse angústias pavorosas,
Em versos que gritavam, ou sorriam.
Disse-as com tal ardor, que todos criam,
Esse rol de misérias fabulosas!

Chegou a hora de cansar, cansei!
Sabei que as chagas todas que aureolei,
Sao rosas de papel como as das feiras.

Que eu vivo a expor minh'alma nas estradas,
Com chagas inventadas, retocadas,
Para esconder bem fundo as verdadeiras.

José Régio

 
At terça-feira, 19 setembro, 2006, Anonymous Maktub said...

Porque não são 4 as letras do meu peso.

 
At terça-feira, 19 setembro, 2006, Blogger Zofia said...

Depende do que quiseres dizer. Calculo que sejam frases longas, que nunca mas vais dizer.

Fernando Pessoa dizia, Somos do tamanho do que vemos e não do tamanho da nossa altura.

Do que fazemos e do que deixamos por fazer.

Coisas grandes se perderam e perdem assim. Em todos os lugares do mundo, houve alguém que calou.


:)


Louco, sim, louco, porque quis minha grandeza
Qual a Sorte a não dá.
Não coube em mim minha certeza,
Por isso onde o areal está
Ficou meu ser que houve, não o que há.
Minha loucura, outros que me a tomem
Com o que nela ia.
Sem a loucura o que é o homem
Mais que a besta sadia,
Cadáver adiado que procria?
(F. Pessoa)

Beijo.

 
At segunda-feira, 20 novembro, 2006, Blogger tiago lila said...

- nunca vi neve a cair.
- cada vez mais.
- ui, se grito!
- deixar, não deixo, mas, como detesto chapéus-de-chuva (os maganos perdem-se sempre de mim), às vezes não tenho outro remédio.
- todos os dias.
- grito em todos os sítios que ecoem.
- não, acordo cheio de sono: só depois de lavar a cara e sorrir para o espelho, é que desperto.
- lol.. claro!
- não, prefiro rebolar-me na areia, estilo croquete.
- se meterem elfos, duendes e hobbits, acredito e choro e rio!
- não. acho que nunca me apaixonei.
- siiiiiiimmmm!
- não, estou muito mais selectivo.
- quase sempre.

 

Enviar um comentário

<< Home