7.18.2006

Escrevi-te

Tantas vezes inundada em lágrimas.
Tantas vezes aos gritos.
Tantas vezes em noites caladas.
E pedi.
Pedi tantas vezes que fosses meu.
Pedi tanto que fosses meu.
Só pedia que fosses meu.


Agora quero estar só.
Secar.
E amar este choro sem lágrimas.

46 Comments:

At terça-feira, 18 julho, 2006, Anonymous Ric Araújo said...

Forte......

 
At terça-feira, 18 julho, 2006, Blogger izzi said...

Posso ser teu... amigo! Tens um bom blog, sua tótó! O resto é conversa!

 
At terça-feira, 18 julho, 2006, Blogger izzi said...

Tens de aprovar os comments... isso chama-se censura!

 
At terça-feira, 18 julho, 2006, Blogger izzi said...

Vou ser censurado?

 
At terça-feira, 18 julho, 2006, Anonymous Anónimo said...

Eu também quero ter acesso à base de dados de fotos fantásticas que tens. :)
Nunca falha. São todas boas. Umas melhores que outras é verdade.
Às vezes não ficam bem no post, o que me leva a estranhar, porque te imagino sempre a investir tempo na foto que escolhes (não é o caso desta, que acho que fica particularmente bem).

XX, J

 
At terça-feira, 18 julho, 2006, Anonymous snark said...

zofia...
ri e o mundo rirá contigo.
chora, e chorarás sózinha.
nós vivemos nos arrebaldes duma galáxia q carinhosamente chamamos de via lactea.
por sua vez, estamos inseridos num universo de outros corpos tão estranhos como buracos negros, anãs brancas, quasares, etc.
e outras galáxias obviamente.
todos juntos (ou tv não), expandimo-nos á velocidade estonteante de 30.000 km/s.
a nossa via lactea é uma galáxia em espiral o q pressupõe q gira sobre si própria.
qd perguntaram a um sábio zen o q era o mundo, ele respondeu: 'o mundo é formado pela bola do mundo q assenta na carapaça da tartaruga do mundo'.
perguntaram-lhe dp onde assentava a tartaruga do mundo.
ele respondeu: 'a tartaruga do mundo assenta na carapaça duma tartaruga ainda maior'. a coisa continua ad eternum ok.
regressão infinita de causas óbvia. mas isso agora não interessa.
o q interessa é q em determinadas fazes da nossa vida, e vá lá saber-se pq :>, ficamos meio estonteados.
será bom ou será mau?
eu acho q é bom pq nunca irei abdicar de nenhuma das minhas tonturas

 
At quarta-feira, 19 julho, 2006, Anonymous ..::verao:::azul::.. said...

eu?
eu nem acreditava em belogues.
"só em fadas..."
és tu?
:D

 
At quarta-feira, 19 julho, 2006, Anonymous João Malhão said...

Talvez estejamos numa situação semelhante, os nossos sentimentos tendem para ser comuns.
Lágrima atrás de lágrima, dias atrás de dias esperando, e chorando, e desejando...
Agora também quero estar só, abraçar o fim que se mostrou inevitavel, amá-lo como que como confirmação de que tudo aconteceu! Mas na realidade não quero estar só, mas não o posso dizer com medo de o voltar a perceber!
Beijo e força*

 
At quarta-feira, 19 julho, 2006, Blogger zaok said...

tá forte

 
At quarta-feira, 19 julho, 2006, Blogger Pri said...

...
intenso com de costume...consegues elevar um sentimento ao expoente máximo...
Tocante! ;) e... n peças...aceita, se oferecido ;)

Bj
(o meu blog está já n exsiste, aviso assim q tiver outro)

 
At quarta-feira, 19 julho, 2006, Anonymous Nikola said...

Muito bonito o que escreveste... e também muito triste...
Faz me lembrar o algo que William Shakespeare escreveu quando descreveu o amor caracterizando-o como um caos informe em formas sedutores. O problema é que o amor, às vezes, transforma os nossos sentimentos num caos em formas muito pouco sedutores. Através do teu poema podemos sentir a tua tristeza... no amor os sentimentos misturam-se, mas não vale a pena amar alguém que não nos ama...
Beijinhos
Nikola

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger X said...

Se os teus leitores fossem pessoas de bom gosto e de coração puro não deixavam comments.
X

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

J, normalmente vou a www.gettyimages.com :)
Sim, claro, todas as imagens sao pensadas e mesmo que nao parecam enquadradas, estao... so que às vezes so fazem sentido para mim ;)
Muitos beijinhos.

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

X, nao te entendi agora. Porque é que dizes isso?
Os meus leitores sao os melhores :) :) :)

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

Não sei bem, mas cheira-me que no final de contas, a culpa será sempre dos Correios...

PS - E eu certamente não me incluo nas pessoas puras de bom coração, daí os comentários no mínimo desprovidos de coerência...

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Nikola, este poema triste foi escrito há muito tempo. Encontrei-o perdido e publiquei-o. Na altura nao consegui. :)
Estou óptima. Estou perfeita. Nao te preocupes. Beijinho grande. :)

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Joao Malhao,
May the force be with you :)
And you, and you...
:)
Beijinho grande.

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Snark, olá :)

Lágrimas. Podem ser muito boas também.

Chorar quando se sente tanto amor, tanta felicidade, que parece que nos vamos rasgar... e como é que os nossos olhos reflectem tudo isso? Com água. :) :) :) Acho que o nosso corpo comunica com água.

E essas lágrimas sao beijos que a nossa alma dá numa outra alma.

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Pri, Zaok, Izzi, Ricardo, muitos beijinhos para voces. :)

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Verao Azul :)
O que é que tu sentes?

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Mak, amigo,
Tu és o Mak que nao é mau. :)
E sim, a culpa é sempre dos correios. :)
Beijos.

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Blogger NaLua said...

Pensei não comentar, mas tenho que lhe dizer que gostaria de ter sido eu a escrever isto...

 
At quinta-feira, 20 julho, 2006, Anonymous snark said...

no q é q ficamos?
sim, pq com lágrimas molhadas é uma coisa. com lágrimas secas é outra.
lol

 
At sexta-feira, 21 julho, 2006, Blogger [ we ] said...

eu gosto de beber as lagrimas de quem chora... vagarosamente pelo rosto até aos olhos. como uma partilha.

 
At sexta-feira, 21 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Snark :P

 
At sexta-feira, 21 julho, 2006, Blogger Zofia said...

[ we ]
Concordo contigo. Partilhar... partilhar, partilhar.

 
At sexta-feira, 21 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Na Lua, obrigada. :) Beijinhos.

 
At sexta-feira, 21 julho, 2006, Anonymous (re)encontros (sl) said...

Mil lágrimas não chegam para sarar um coração ferido

Mil beijos não chegam para fazer esquecer lembrar uma despedida

Mil olhares sentidos não chegam para apagar uma dor ardente

Mil esperas não chegam para acreditar no regresso de uma Alma ausente

Mil alvoradas não chegam para incendiar uma noite enregelada

Mil mortes não chegam para ocultar o mistério da Vida

Mil momentos de Ontem não chegam para fazer um Amanhã


E no entanto um só sorriso chega para nos libertar das máscaras do Destino, quando nos fazem voltar a acreditar em fadas... ainda bem que te (re)encontrei! Agora também te posso escrever e pedir-te mais um sorriso.

Beijo

 
At sexta-feira, 21 julho, 2006, Blogger O Pâncreas said...

Intensamente belo esta mescla de emoções desgarradas de sorrisos, sendo uma amálgama de lacrimejantes palavras...lindas.
Bj
R.

 
At domingo, 23 julho, 2006, Blogger Stranger à la carte said...

Eu que sou um fan (por vezes flan) de imagens confesso que já aqui vim montes de vezes e não consigo ler este post.A imagem prende-me de uma tal maneira que não consigo sair para as letras...possa...de qlq maneira OBRIGADO. sinto-me vivo!

 
At segunda-feira, 24 julho, 2006, Blogger ETZNAB said...

Milho verde, milho verde Milho verde maçaroca À sombra do milho verde Namorei uma cachopa
Danny

 
At segunda-feira, 24 julho, 2006, Anonymous Anónimo said...

De facto não há palavras para descrever a narrativa da zofia. Cada palavra tua espremida dá mais sumo que um pomar de laranjas!! fazes bem á alma, fazes bem á tristeza, fazes-me bem, fazes-me mto bem. K a tua alma seja eterna, que a tua força se apodere de todos nós.

remoluso

 
At segunda-feira, 24 julho, 2006, Anonymous Anónimo said...

mto bom

 
At terça-feira, 25 julho, 2006, Anonymous ..::verao::azul::.. said...

eu sinto.
e sinto que, também com a tua contribuiçao, um dia, todas as pessoas "verão azul".
:D
"...and this could be the beginning of a beautifull friendship!..."

 
At quarta-feira, 26 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Ver azul, cor de rosa, amarelo, branco, laranja, ver vermelho... ver tudo. :)

 
At quarta-feira, 26 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Remoluso, à parte desse exagero muito simpático... fico contente por saber que gostas de me ler e que te faz bem. :)

 
At quarta-feira, 26 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Etznab :)
Muitos beijinhos para todos. :)

 
At quarta-feira, 26 julho, 2006, Blogger Zofia said...

Mister Palou, Pancreas, Sl, tres beijos enormes para voces. Mimam-me com esses elogios. :) Fico contente por gostarem.

 
At quarta-feira, 26 julho, 2006, Anonymous snark said...

q tal mudar de assunto?
este choro todo deixa-me seco.
será do calor? será das férias q se aproximam?
eu acho q é do calor. afecta mais as mulheres q os homens.
os homens são afectados pelo reduzido vestuário das mulheres q estão com calor. algo q eu nunca compreendi.
segundo consta, o problema reside no bolbo raquidiano.
não podemos viver com ele nem sem ele.
já pensei fazer patê de bolbo raquidiano q se consome ao final da tarde acompanhado de uma cerveja bem fresquinha enquanto sopra a brisa.
de preferência numa esplanada com os pés na água

 
At sábado, 29 julho, 2006, Blogger Rita said...

hmm, tão bonito. *

 
At segunda-feira, 31 julho, 2006, Blogger SerendipityMan said...

Quem disse isto? A Florbela Espanca ou tu? É que a diferença é pouca. ;P ( bj)

 
At terça-feira, 01 agosto, 2006, Blogger Zofia said...

Obrigada, Rita. :)
Beijinhos.

 
At terça-feira, 01 agosto, 2006, Blogger Zofia said...

Serendipity ;) beijinho.

 
At quarta-feira, 02 agosto, 2006, Anonymous snark said...

pelos vistos vamos ter de continuar nas lágrimas.
q teimosa...

AQUI (08 Nov - 12 Nov)

Aqui, deposta enfim a minha imagem,
Tudo o que é jogo e tudo o que é passagem,
No interior das coisas canto nua.

Aqui livre sou eu - eco da lua
E dos jardins, os gestos recebidos
E o tumulto dos gestos pressentidos,
Aqui sou eu em tudo quanto amei.

Não por aquilo que só atravessei,
Não p'lo meu rumor que só perdi,
Não p'los incertos actos que vivi,

Mas por tudo de quanto ressoei
E em cujo amor de amor me eternizei.

Sophia de Mello Breyner Andersen, Dia do Mar, 1947

 
At quinta-feira, 03 agosto, 2006, Blogger Zofia said...

Boas férias. Eu ando pelos lados dos Algarves. :) Quando voltar, aviso. Beijinho grande. :)

 
At quinta-feira, 03 agosto, 2006, Anonymous snark said...

lol. boas férias.
eu ando pelos lados de milfontes. qd voltar não sei se aviso. por outro lado, só partimos para podermos regressar. senão avisarmos ninguém, ninguém sabe q regressámos. é melhor pensar no assunto

 

Enviar um comentário

<< Home