5.17.2006

Nem cedo, nem tarde

Depois de encharcar a areia e tomar conta da praia, a onda recolhe-se.
É esta a hora. Interminável hora.
Que atira para longe o que está tão perto.

O mar faz-me sempre sorrir por nada.

4 Comments:

At quarta-feira, 17 maio, 2006, Anonymous VN said...

O mar faz-te sorrir porque é como tu, naquele momento que te encharcas de ideias
Naquele momento em que te enrolas num turbilhão de memórias.
Por instantes tudo acalma, tudo silencia, toda a paz volta a correr-te nas veias
Mas é só por instantes, naquela maré, porque as ondas voltam, revoltam e fazem-nos sorrir de novo, inspirar fundo.
O mar faz-me perceber que somos inconstantes porque a natureza também é.

 
At quarta-feira, 17 maio, 2006, Blogger Zofia said...

ADOREI, Vasco.

 
At quinta-feira, 18 maio, 2006, Anonymous R. said...

O melhor "eu" é sempre uma reacção a deslumbramentos inesperados...

 
At quinta-feira, 18 maio, 2006, Anonymous O Mar, O Mar (SL) said...

E eu levo sempre comigo o teu sorriso... mas não posso ficar parado.

Todos sabem que no meu corpo embalo todos os seres e mais ainda, porque em mim o Ser nasce e a mim ele retorna.

Todos vêem que sou tempestade e calmaria, que me aproximo para revolver a terra e me afasto para o descanso que lhe dá vida.

Mas só tu sentes que, na verdade, num momento sou apenas o espelho da tua alma para, logo a seguir, num desassossego, avançar timidamente para tentar beijar a tua sombra, ou o rasto que deixaste na areia.

E assim passo os meus dias.

Porque sei que se ficasse parado não te faria sorrir.

 

Enviar um comentário

<< Home