5.15.2006

Quero-te

Sentada naquele banco alto que parecia que me ia deixar cair, disse-te numa noite: consigo tudo o que quero.
Tu sorriste e mostraste-me bem o quanto eu estava enganada.



E eu caí.

28 Comments:

At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous Não posso dizer quem sou pq teci-te um gd elogio said...

se caíste levanta-te,porque tu tens tudo o que um homem pode querer.bjokas

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous Ricardo Araújo said...

ó rapariga vai dormir, sabes que horas são ?
fiz refresh por fazer e aparece-me aqui um post.
tá mtgiro mas vai dormir miga.ehhe

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger ? said...

fantástica zofia! não caias, fica antes suspensa pelas tuas certezas.Ou então cai, e tenta de novo manter o equilibrio no grande desiquilibrio que é o amor... tantas vezes quantas forem precisas.

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger João said...

Boa escolha de foto, Zof.
Realidade ou ficção, eis a questão.
Sim...convém não continuar a "cair" no mesmo erro de interpretação dos posts.
Bjs

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous Johnny said...

nao caias... eu n deixo!

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

:)

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

Nessa história eu não caio ;)

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous R. said...

"todos os dias vejo-te partir
airosamente num silêncio assustador
do parapeito da minha janela
de onde a vista me sai sempre nas asas
dos pássaros que passam junto às persianas
e é como se me levasses contigo"


Porque nem todos os "parapeitos" são assim tão "pobres"...

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Não caias, Mak, o mau. Custa sempre um pouco a levantar.
Depois queixa-te que tens feridas nos joelhos e a cara esmurrada.

Isto, só para dar a ideia de que todos os dias te queixas disto.

Já te disse que o amor se transforma. Nunca cai ao chão. E já te disse também que o amor não cresce do chão.
Pára de esgravatar na relva. Tu nem gostas de fatos.

Enjoy life, amigo nada-mau. ;)

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Esse parapeito não é pobre de certeza, R.
Beijinhos.

E porque é que um parapeito para ti pode ser pobre?

O nosso amigo Pessoa dizia que não somos do tamanho da nossa altura, mas sim do tamanho do que vemos.

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Ai, eu AMO Fernando Pessoa. :)

(mais um comentário, ihih)

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous R. said...

"I never thought I'd grow up so fast so far.
To know yourself is to let yourself be loved.

And I want to be addicted,
I want to be secure,
I want to wake up after the night before,
but do you ever get me?

Do you ever get me?

I'll press your hand against my face,
weaken my resistance.
I'll pull the sheets over our heads,
let the broken sky break above our heads.

And I want to be addicted,
I want to be secure,
I want to wake up after the night before,
but do you get me?

Do you ever get me?

Shower me with affection and I'll return in kind.
I have no hidden motive, I am blind.

I'm a stone inside a box,
I'm a spring inside a clock,
you can wear me on your wrist
and I'll tell you things ten thousand times,
but do you ever get me?

Do you ever get me?"

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

I have no hidden motive, I am blind.

Giro. :)

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous Ricardo said...

Ohhh querida, deixa...eu para a proxima n te deixo cair...perdoas-me?!?! EHEHEHEHEHEH :D

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Parvo. Ahahahahaha.

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

O conceito de cair nem sempre é mau caríssima, aí eu concordo. Imagina que te pedem para fechares os olhos e te deixares cair para trás.
Se te deixares cai sem qualquer dúvida que alguém te vai apanhar é um sinal de confiança inabalável muito reconfortante. Até ao dia em que não encontrares os braços em que depositaste a tua confiança. Aí não voltarás a cair da mesma maneira, mesmo que tal te pareça possível.

Mas isso são conversas filosóficas. Se eu te pedir para caires, sabes bem qu vais acabar com os costados no chão. A reputação de mau não se faz de um dia para o outro ;)

E aí, quem se queixará das nódoas negras? muahahaah

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Querido Mak,
Na primária tive um colega que gozava comigo por eu ser muito magrinha, por me faltar em adiposidade o que ele tinha de burrice.
;) Chamava-se Nuno Nunes.
Um dia o meu irmão foi lá à escola.
Ele nunca mais gozou comigo.

Vê lá se queres conhecer os meus dois irmãos. :P

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

O Nunes não passava de um reles aprendiz. Chumbei-o no 1º ano de Cálculo Maldoso e Ciências Maldosas. Faltava-lhe em estofo o que lhe sobrava em peso para ser mau de verdade...

Quanto a mim, nada temo, porque para quem tem dois irmãos, eu tenho duas irmãs e enquanto eles se conhecem, a minha maldade escapará inabalada (tal como o meu coiro)

Além disso, ninguém acredita na maldade pura ;)

"The greatest trick the devil ever pulled was convincing the world he did not exist" - Ternurento n achas?

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous R. said...

"Although I sometimes play the saint, I usually play the devil."

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Anonymous metamorfose said...

e nao caimos todos ?
(gostei do que disseste ao mak uns posts acima)
entao tu estavas a espera de conseguires sempre tudo o que quisesses ?
agora que caiste impoe-se a pergunta: o que vais fazer a seguir?

 
At segunda-feira, 15 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Já tinha caído antes. E já me tinha levantado antes também. ;)
What's the big deal?
Já passou, (diz a mãe do Joãozinho a passar-lhe a mão pelo cabelo). Já passou, Joãozinho. Amanhã vou lá à escola e faço com que se arrependam de te terem chamado mafioso.
Está bem mãe, mas por favor faz com que pareça um acidente.
That's life. Brilhante. :)
Beijinhos, meta.

 
At terça-feira, 16 maio, 2006, Blogger [ Top 3 ] Crominho said...

Bonito texto mas os 2 caminhos em terra árida, a meu ver, nao faz sentido. Até porque, há sempre maneira de nao cair.

Vai escrevendo, faz bem à alma.

Beijinhos

 
At terça-feira, 16 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Há maneira de não caires se andares rente ao chão. Eu gosto de voar, Duarte :)

Quando é que voltas, final do mês, não é?

Beijinhos.

 
At terça-feira, 16 maio, 2006, Blogger [ Top 3 ] Crominho said...

Já dizia o ditado : "Quanto mais alto se sobe (voas), maior é a queda."

Já agora uma rectificaçaozinha do meu último comentário , queria dizer "fazem" e nao "faz".

Dia 25 estou por ai para matar saudades.

Mais uma beijoca gorda

 
At terça-feira, 16 maio, 2006, Blogger Zofia said...

É bom cair do alto. :)

Chamaste-me gorda? :P

Beijinho amigo. Depois combina com o resto do pessoal, juntamos todos. :)

 
At terça-feira, 16 maio, 2006, Anonymous vaca que ri said...

eu acho que a zofia e o mak deviam juntar-se e casar-se.
Porque sim, é um palpite.
Já agora, ja que estamos em tempo de metaforas (ou la que figura de estilo isto é), a taxa de acidentes de aviões é muito inferior à taxa de acidentes de automóvel, ou seja a probabilidade de morrermos quando entramos dentro de um carro é maior do que a probabilidade de morrermos quando entramos dentro de um aviao. Daí que eu prefira voar.
Mas, claro está, se de facto, se a infima probabilidade de cair se concretiza, então não há safa possivel.

Brindo à zofia e ao mak

 
At quinta-feira, 18 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Prost! ;)

 
At segunda-feira, 10 julho, 2006, Anonymous sam said...

nunca digas que consegues tudo o que queres mas sim que tentas tudo para o conseguires...dessa forma nunca vais cair.

 

Enviar um comentário

<< Home