5.02.2006

Já me despedi


Já me despedi, sem teres olhado para mim.
Já te disse adeus, sem me teres ouvido.
Já me exilei, sem te teres apercebido.
Já falei com o meu coração, para acalmá-lo.
Já tentei sossegá-lo.
Já lhe disse que ele deu o seu melhor, e nem sempre se ganha.
Já lhe disse que ele não podia fazer nada, senão aceitar o que não consegue mudar.
Já lhe disse que deixasse ao sabor do vento, da corrente, de qualquer outra coisa.
Já lhe disse que tudo acontece por uma razão, e é sempre para o nosso bem.
Já lhe disse que não se deve angustiar nem se fechar, ainda que assim lhe parecesse mais fácil.
Já lhe disse que ele é feito de ouro e que o ouro não se parte.
Já lhe disse para não se precipitar, para não se adiantar. Nem se deixar atrasar.
Já lhe disse para não se deixar entusiasmar, não se voltar a dar, mas isso também é errado.
Já lhe disse para continuar a amar, mesmo que volte a sofrer. Porque ele não sabe viver de outra maneira.
Já achei que estava certa no que lhe disse.
Já achei que era errado dizer-lhe aquilo.
Já lhe disse principalmente para não chorar.
Já lhe disse que o mundo é todo feito de amor, e que a ele caberá também uma parte.
Já lhe disse que tenho a certeza, daqui a um tempo ele vai ser correspondido.
Já lhe disse para esperar.
Já lhe disse tanta coisa, e não o consigo convencer.
Ele gosta de ti. Pouco mais posso fazer.

16 Comments:

At terça-feira, 02 maio, 2006, Blogger ? said...

:) ... como eu sei o que quer dizer cada frase...

 
At quarta-feira, 03 maio, 2006, Blogger JM said...

sofia... tá fantastico.

 
At quarta-feira, 03 maio, 2006, Blogger lex said...

TUM-Tum. Não batas mais. A sério, não batas. Não faz bem. Já está? Ok. Então já chega. Sim? Cheio de graça. Bate lá então. Pronto, leva lá a taça e a bicicleta. Então? Continuas a bater? Para quê? Não batas mais!!! Hey? Tem mas é mais calminha, não batas mais. Isso não te faz bem à saúde. Acredita em mim. Não batas mais pá. Não bater é não sofrer... E tu a dares-lhe. NÃO BATAS! Foda-se!!! Tá quieto!!! Não batas. Já não tem piada, já foi, PUFF, ZIEL, KAPUT,FOI-SE... percebeste? Se parares dou-te uma prenda! Dou-te dinheiro! Compro-te. Aceitas cheques? Ok, não te vendes... Mas já paravas! Mas afinal és meu ou dela? Hey? Tá surdo!!! PÁRA!!!

E não parou.
Se ele obedecesse não seria o que ele é.

 
At quarta-feira, 03 maio, 2006, Blogger Zofia said...

João, obrigada, está simples como o amor deve ser. :)

 
At quarta-feira, 03 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Lex, disseste uma asneira :P Maleducado.

 
At quarta-feira, 03 maio, 2006, Anonymous Vasco Nunes said...

O mundo é feito de amor, mas também de desilusão e de tanta frieza.
Ele sofre com o que lhe disseres e com o que não lhe disseres mas sobrevive para contar a história. Sobrevive mais duro, menos puro, menos fácil. As expressões mudam-se-lhe, os sorrisos pesam-lhe e o coração parece que mingua.
A história não acaba mas as personagens mudam. O ouro molda-se às altas pressões e escurece. E a espera seca as lágrimas mas aumenta o frio que o envolve cada vez mais numa paz falsa que não convence…

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Anonymous VN said...

...pouco mais podes fazer

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Anonymous R. said...

" (...)

Mas não há forma não há verso não há leito
para este fogo amor para este rio.
Como dizer um coração fora do peito?
Meu amor transbordou. E eu sem navio.

(...)

Não há barco nem trigo não há trevo
não há palavras para dizer esta canção.
Gostar de ti é um poema que não escrevo.
Que há um rio sem leito. E eu sem coração."


Por vezes, acho que temos palavras suficientes, se não for na nossa língua materna temos noutras. Outras vezes acho que nos faltam palavras, ou línguas, ou ambas para dizer tudo.

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Muito bonito. :) "O meu amor transbordou. E eu sem navio".

Palavras. Aproximam-se, mas parece-me que nunca chegam. :)

Um beijo para ti e outro para o Alegre.

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Vasco, poeta :P
Adorei isto que escreveste: "O ouro molda-se às altas pressões e escurece. E a espera seca as lágrimas mas aumenta o frio que o envolve cada vez mais numa paz falsa que não convence."
Sou tua amiga, sou tua amiga. Não te esqueças de mim quando fores um escritor conhecido :)
Beijo grande.

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Anonymous JIM said...

Explica-lhe, porque é de ouro e é grande, que merece melhor.

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Jim................................ :)
Parafraseando-te, há palavras que nos deixam assim, sem palavras. :)
Muitos beijos.

 
At quinta-feira, 04 maio, 2006, Anonymous TiagoMaia.. said...

http://zorpia.com/cgi/photo.cgi?4577737.0d3701


As vezes damos por nós a achar que a pior coisa que nos aconteceu na vida....é nada mais nada menos que a melhor coisa que alguma vez nos aconteceu...esta imagem é um dos melhores auto-retratos q tenho..

 
At terça-feira, 16 maio, 2006, Anonymous Anónimo said...

Absinto :
Vim visitar o teu blog e adorei o texto . Revejo-me nele em det. fase da minha vida .
Nós bem podemos lhe "dizer" mas ele (coração) tem que estar aberto ás nossas mensagens e isso é por vezes muito mais difícil do que expectamos ...
No entanto, há que continuar a tentar a passar a(s) mensagem(ns) pois tenho a certeza que algum dia acordará de modo diferente

 
At quarta-feira, 31 maio, 2006, Blogger Zofia said...

Anónimo ;)
Sim, às vezes só mesmo com muita mentalização. ;)
Beijinho grande.

 
At segunda-feira, 21 fevereiro, 2011, Anonymous Anónimo said...

Sofia V. N.
este dia dos namorados recebi um livro.
"Textos de Amor"...
pagina 41, JÁ ME DESPEDI.
muito bonito. e muitos parabens.
beijo

 

Enviar um comentário

<< Home