4.20.2006

Dormente

Anjo ou deus,
Que me percorre a alma acariciando o corpo.
A ti só pedirei que me concedas o que nunca te vou exigir.

Porque tu és vadio...

Nem quieta nem inquieta espero pelo que o fado me trouxer
mas se me ergueres, erguerás ouro
porque sinto prazer, sinto dor
e porque para ti me dou como se nunca tivesse sofrido.

Mas tal como é, gozemos o momento.
Aguardando o amor como alguém que o conhece
E lhe reconhece os defeitos, os feitios.
E de longe vejo o cimo da montanha branca
e o sol que suave beija o gelo fazendo-o chorar de ventura.

Eu quero chorar com os teus beijos, Sol.
Quero que me descongeles, porque há muito tempo que sou geada.
Quero que me beijes os lábios solitários
Quero que me ocupes o corpo descampado
nas noites que caem doces sobre nós.

E quando o mar engolir a areia e arrastar com ele todos os castelos
Eu quero que o nosso subsista.

Porque tu és vício...

Dormente, a dormir sorrio.
Porque me pesas no corpo e me beijas a alma.
Gato vadio.

3 Comments:

At sexta-feira, 21 abril, 2006, Anonymous gqr said...

cuidado, nunca se sabe o que vai na cabeça desses gatos vadios...;)
qd fica bom mar p surfar?

 
At sábado, 22 abril, 2006, Blogger JM said...

awesome... :)

 
At sábado, 22 abril, 2006, Blogger Joao de Portugal said...

És brilhante,no sentido em q brilhas........................só gostava q escrevesses uma coisa dessas p/ mim.ou a alguém escrevesse assim p/ mim.parabéns.continua a escrever.esse gato vadio saberá a sorte q tem?bjokas

 

Enviar um comentário

<< Home