4.05.2006

O meu pensamento falha quando quero exprimir o que sinto


Absorvo o sangue do teu espírito.
As nossas mãos estão frias como se eu nos tivesse tirado a vida.
Mas o amor nunca morre. Só se esconde aqui no centro de mim.

Batalho como alguém que pensa conhecer a alma das coisas.
E como alguém que luta para recordar esse conhecimento.
Mas falta sempre o que não recordo.

Ganha-se a batalha e no chão soldados nossos mortos em morte paulatina.
Perco cem mil homens num só.
Exponho-me à carnificina por causa de ti.

És o meu homem abstracto.
Um ser inclinado que sorri do céu em queda livre.

15 Comments:

At quarta-feira, 05 abril, 2006, Anonymous ? said...

...e graças aos céus que assim é, porque liberta as emoções, esponencia-as e transforma-as em muitas outras coisas que não só as palavras e as racionalizações a que nos fomos habituando.

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Anonymous João Marques said...

Muito bonito Sofia.
Como sempre. :)

O teu blog já tem mais uma fã, a minha colega Lisa. :)

Um beijinho grande para ti.

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger Zofia said...

? Vaguely speaking, it's all written in the stars. :)

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger Zofia said...

Bem vinda, Lisa :)

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Anonymous ? said...

a questão é que nem sempre as sabemos ler correctamente. eu por exemplo... sou um perfeito ignorante na literatura estrelar

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger Zofia said...

Eu penso que lemos sempre correctamente, porque lemos o que precisamos de ouvir no momento. ;)

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger lex said...

A vantagem do amor sobre a libertinagem é a multiplicação dos prazeres. - Montesquieu

Engraçado o termo "libertinagem", muito arcaico

P.S: Os anjos não caiem. Atiram-se

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Anonymous ? said...

não sei. não sei se confio nas estrelas. as vezes a luz ofusca e bnós vivemos ilusões. doces ilusões que nos sabem bem. e também não sei se devemos sempre ouvir aquilo que precisamos. eu não sei muita coisa, ainda bem, porque assim obrigo-me a pensar sobre um universo de questões sem fim

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger Zofia said...

O amor só tem vantagens. Muitas vantagens e algumas dores.

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger lex said...

Amar é viver.
Viver é sofrer.
Amar é sofrer. Sem ter medo de doer.
Só aí somos livres. Só aí somos nós.
Só aí vale a pena. Tum-Tum.

 
At quarta-feira, 05 abril, 2006, Blogger Zofia said...

E vale sempre a pena porque as almas não são pequenas.
Como diz Fernando Pessoa... ;)

 
At quinta-feira, 06 abril, 2006, Blogger João said...

"Não há grande vitória que não seja precedida de uma série de pequenas derrotas"

 
At sexta-feira, 07 abril, 2006, Blogger Joao de Portugal said...

grande poema. ESTÁ SUBLIME. "um ser inclinado do céu em queda livre". mto bonito Zof. mto mesmo.........não sei aonde vais buscar tanta inspiração.

 
At quarta-feira, 12 abril, 2006, Blogger Zofia said...

;) João. Beijinhos.

 
At sexta-feira, 16 junho, 2006, Anonymous Anónimo said...

Absinto :
Palavras sábias. Texto sublime .
Adorei o post.
Voltarei logo que possível.
Bjs

 

Enviar um comentário

<< Home