4.16.2008

Luanda, onde estás tu?

Homens incompletos
Com uma perna das calças
Enrolada de qualquer jeito
E sem serventia

Coxas que terminam de repente
E sapatos encaixados
Em pernas postiças

Cidade de cicatrizes e cruzes
Antes eras florida
Agora tens mortos de guerra
Plantados nos teus jardins

Os que ainda sobram estão sós
Exaustos e famintos
Arrastam-se pelas ruas imundas
E afastam as moscas que voltam

Uma história com final infeliz
É a nossa
Abriga-nos debaixo desta terra
Vermelha e ainda amada

Tem pena de nós
Tira-nos de vez o funje de cada dia
E deixa-nos sangrar até à morte

De Luanda já não me lembro
Mas deve ter sido bonita...

6 Comments:

At quarta-feira, 16 abril, 2008, Blogger pu pu pi tu said...

É tristemente bonito.
É uma oração.
És linda... como as coisas que escreves.
Gosto-te.

 
At sexta-feira, 18 abril, 2008, Blogger Sandro said...

Luanda era linda sim. Das capitais africanas mais bonitas, uma cidade cheia de vida. Acredito que volte a ser o que era, agora que terminou a guerra... embora isso leve o seu tempo.
Mas, como qualquer angolano que se preze, tenho de acreditar nisso.
E aqueles fins de tarde de cores de terra e fogo... sem palavras que os possam descrever!

Um beijo

 
At domingo, 27 abril, 2008, Blogger Pedro Gamboa said...

Que maravilha. Não fosse ja ter bebido e o alcool correr desenfreadamente no meu sangue e nao fosse serem seis e meia da manha e te diria... - Bem escrito!!

 
At segunda-feira, 28 abril, 2008, Blogger Pedro Gamboa said...

Agora que a minha cidade está tranquila te digo, que lindo!

 
At sexta-feira, 22 agosto, 2008, Blogger Sininho said...

Um beijo gigante de Luanda directamente para ti minha amiga, tenho saudades dos nossos tempos!Uns mais felizes outros menos mas sempre c a irnonia na ponta da lingua q nos fazia continuar a rir e a sonhar...e a surfar!
Longe vão esses tempos e agora corro aqui em Luanda, cidade q me devolveu o meu amor, q nao me tirou a ironia, que ja foi um dia maravilhosa e que com a minha MARAVILHOSA arquitectura vai voltar a ser!...um dia!

 
At terça-feira, 02 setembro, 2008, Blogger Aleph said...

Olá,
Tenho uma ligação a Angola e estive em Luanda há cerca de um ano. Cidade de extremos: dura mas terna, onde tudo ainda que difícil se descomplica, organizada no seu caos.

Gostei muito deste poema, que é um retrato bastante crú, mas simultaneamente sensível e fiel de uma determinada dimensão de uma cidade e de um povo. Parabéns.

Aleph

 

Enviar um comentário

<< Home