2.14.2006

O Dia dos Namorados deve ser todos os dias


Agora, essa pressaozinha de levar a jantar, oferecer flores mesmo quando não se é indiano, e provar um vinho diferente no restaurante onde estão mais dois mil casais de mãos dadas suadas com rosas e rosas a descansar em cima de cada uma das mesas para duas pessoas, e apenas separados momentaneamente por uma vela invejosa em forma de coração cortada pela metade, ai. Ui.
Por outro lado quem viva essa experiência, que a viva. Eu quero é que todos sejam felizes. :) De forma kitsch ou não.
Acima de tudo, o amor. Seja de filme, de revista ou real. Seja imaginário, copiado ou inventado. Desde que essas pessoas pensem que o vivem, acabam por senti-lo.
Ai kitsch, kitsch... as coisas que tu nos fazes. Fazes-nos vir as lágrimas aos olhos, duas, uma a cair de cada olho comovido, e uma gota logo a seguir à outra, quando vemos dois casais num jardim debaixo de uma árvore cheia de raízes à superfície a darem um beijo ao pôr-do-sol. E ele, que tinha o ramo de flores escondido atrás das costas, num gesto de amor intempestivo revela o ramo de rosas à menina, que ainda segura uma das pernas no ar dobrada e levantada com o beijo do namorado e diz: Feliz dia dos Namorados.
E nós dizemos: que coisa bonita, um casal de namorados enamorados. E mais, comovemo-nos todos com a mesma imagem, e aí sim o Kitsch ganhou. As imagens-chave do nosso imaginário ganharam.
Como foi o vosso dia dos Namorados?

23 Comments:

At terça-feira, 14 fevereiro, 2006, Anonymous Anónimo said...

Sim, mas tem alguma pinta receber flores hoje (e sempre) e mimos hoje (e sempre), mas seria algo tendencioso HOJE, não o fazer só porque é o comercial Dia dos Namorados. Ou não?
X J

 
At terça-feira, 14 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Receber hoje e sempre.
Dar hoje e sempre.
Mas flores para mim nao ;)
Beijinhos.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Luiggy said...

O dia dos namorados é apenas 1/365 das experiências, aventuras e acontecimentos da vida de um casal. O ridículo é a sociedade e as pessoas evidencia-lo como se fosse um dia diferente dos outros mas não o é ... é apenas mais um dia de namoro!

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Anonymous joão said...

O Dia dos Namorados é quando o casal quiser e enquanto o casal estiver; é todos os dias e nenhum em especial; Comemorações especiais? Quanto muito o do dia em que tudo começou. Celebrações? Sempre!
O meu dia dos namorados foi desprovido de significado...não pelo acima referido, mas porque faltou a razão da celebração, kitsh ou não....a namorada! :)
Beijinhos

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

As músicas não deixam de me comover, de me lembrar momentos que passaram, pessoas que já não estão presentes.
Às vezes as canções não passam de lindas mentiras, que continuam a fazer-nos sonhar... como qualquer outra fraqueza humana.
Por muito que renegue o kitsch, não deixa de fazer parte integrante de mim também, por vezes... por vezes?

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Luisa Seabra said...

o meu foi a L-O-U-C-U-R-A!!!ahahahahah...sem comments!
mas é quando estamos sozinhos q tudo isso nos parece ridículo...qdo senttimos falta desse ridículo na nossa vida!

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger X said...

Não lhe chames kitsch..kitsch é o bruce lee e o seu fato amarelo (para alguns é fétiche) kitsch é o Elvis a cantar suspicious minds enquanto faz golpes de karaté. O amor é mesmo parolo, foleiro. O amor é um empreiteiro vestido com tommy hilfiger a dançar na Kapital com um charuto na mão.
O amor é uma reunião de gajos do tunning com os seus clios e puntos amarelos.
O amor é o Luís Filipe Vieira ás compras Domingo de manhã, vestido com o fato de treino do Benfica.
O amor é um casal português, com o filho de 5 anos, em Torremolinos.
O amor é estranhamente a coisa mais inestética ( não é á toa que matavam sempre a mulher do Charles Bronson) e no entanto a melhor coisa do mundo...
X

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger X said...

A minha mulher fugiu com o meu dinheiro e com o meu melhor amigo.
A minha mulher antes de ir embora queimou a minha bóina dos comandos e com ela o meu coração.
Sempre que entro na minha casa de banho suja lembro me de como a minha mulher a limpava tão bem.
Lembro me da minha mulher quando visto camisas mal engomadas, lembro me dela quando como ovos estrelados com pão.
O amor é uma merda...

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

O Amor é uma Fénix para mim. :P

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Anonymous gato que ri said...

O teu blog comeu-me o comment !!

Eu passei a maior parte do dia dos namorados a dizer mal...do dia dos namorados. Acho que o "ser suposto" estraga tudo. Parece que as pessoas precisam e dão a elas mesmas uma desculpa para dizer algo, estar ou até mesmo pensar na pessoa de quem gostam. Deviam fazer isso o ano todo. Dar as mãos em qualquer dia do ano, ir jantar fora a um restaurante todo kitsch em qualquer dia do ano, oferecer um presente (está bem...oferecer uma rosa...) em qualquer dia do ano; dizer o que sentem em qualquer dia do ano. Isto para quem gosta claro. O importante é as pessoas não precisarem que um santo qualquer lhes venha lembrar que gostam umas das outras, e que devem manifestá-lo. Eu não gosto do dia dos namorados. Não gosto dos 1001 casais de mãos suadas, nem dos restaurantes cheios de velas, das prendinhas "dia14" que "são tão bonitas" mas que eu não acho nada. Não gosto do dia dos namorados e espero nunca vir a "precisar" dele. Mesmo assim fico contente por quem se entrega às rosas e ás velas, aos relógios e aos jantares. Tens razão, o que é preciso é que toda a gente seja feliz!

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

;) Ainda bem que voltaste a comentar. :)
Beijinhos.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Anonymous joão said...

gato que ri, valente...(im) comentário! Não posso estar mais de acordo.

...Já agora, não compreeendo porque a autora não gosta de flores e as associa sempre a coisas más, como funerais.
Será correcto associar-se o fogo apenas aos incêndios, a chuva ás inundações ou o vento aos furacões? :)

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Falas bem João. Confesso que fui revolucionária. Extremista. :) Ainda ontem comentei isso.
Gosto de flores se forem dadas pela pessoa certa. Mas também nunca sou antipática, quando dadas por outras pessoas.
De qualquer modo prefiro receber um livro que se eterniza do que uma flor que desaparece. Quando fiz 24 anos, Novembro passado, recebi uma espécia de vaso, branco e de vidro todo giro. Lá dentro, um papel com um desenho colorido de uma flor. Adorei. Vale uma flor, dizia.
Um facto é que as flores murcham porque foram arrancadas. Eu acho-as mais bonitas no campo. Era como se me arrancassem da minha Família ou das pessoas que amo. Prefiro não lhes fazer isso. ;) Nem compactuo com vícios.
Tinha de dizer isto. ;)

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Anonymous joão said...

OK, assim entendo. Só não percebi a parte dos vícios

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Digo isso muitas vezes e quase descontextualizadamente.
Apeteceu-me, mais uma vez :)
;)
Beijinhos.

Quando não concordo com alguma coisa. ;)
Prefiro não as tirar do campo.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

Essa da fénix, deve ter sido soprada por um passarinho :p

O meu dos namorados foi sui generis, mas como sou egoísta, não vou partilhar, poupando alguns bocejos à turba de leitores...

Quanto ao kitsch, só conheço aquele do "Kitsch, vem me buscar" que dava na TV há algum tempo, quando ser foleiro ainda tinha outro elan

 
At quinta-feira, 16 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Kitsch vem me buscar, ehehehe... lembro-me perfeitamente. Eu tinha um carrinho de pedais que me fazia lembrar o kitsch. ;)
Ai... saudades.
E aquela série dos Adultos obrigados? ;) Lanche à frente da TV. Muita nucrema, muita nucrema.

 
At quinta-feira, 16 fevereiro, 2006, Anonymous joão said...

Estão numa onda Kitsch? E o João Baião (meu homónimo, por infelicidade) a saltar de um lado para o outro e a gritar para intervalo: "Voltamos já! Vá, vá lá fazer o seu xixizinho, que nós voltamos num instante ao Big Show SIC!!!" ??
Isso é que é Kitsch! Em overdose...porventura....
Dudes, i'm feeling SIC(K).....

 
At quinta-feira, 16 fevereiro, 2006, Blogger Mak, o Mau said...

Relembro também nesse programa o actor secundário no ecran, mas protagonista no nosso coração que era o saudoso MACACO HADRIANNO (acho q tinha mesmo este spelling).

AA-E-I-O-U, um amigo pra você

Enfim, macacadas.

 
At sábado, 25 fevereiro, 2006, Anonymous Hugo said...

Eu fui jantar com a minha namorada/noiva/esposa/maisketudo/ana a um restaurante brasileiro com fotografias do caetano, bethania, gil, chico a olharem para mim eeheheh melhor era difícil!

Hugo

 
At segunda-feira, 27 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Miúdo! Hugo, há quanto tempo. Há 8 anos?
Fico contente por estares óptimo. :)
Enjoy life.

 
At terça-feira, 28 fevereiro, 2006, Anonymous Hugo said...

Sofia, garota, não de ipanema, mas baiana de salvador, que é bem melhorrrrr ehehehe

Deve ser 8 anos sim, como o tempo passa..... uffffff....

Obrigado! Fico contente se estiveres bem também ;)

ps. vou só dar uma palavrinha no outro post de Salvador que escreveste.......

 
At quarta-feira, 10 maio, 2006, Anonymous Eu said...

Já la vai um tempinho desde o dia mas fica registado para quem quiser ler. Só tenho a relatar que nessa semana nem sequer ganhei o Euromilhões! :(

 

Enviar um comentário

<< Home