2.14.2006

Nunca tive as tuas palavras


Olho para as letras que desenhaste num papel como se examinasse a anatomia do teu corpo.
Cinco letras que nunca cheguei a ouvir porque até esta preferiste não dizer.
Nunca tive as tuas palavras. Essas tuas palavras sussurradas ou gritadas. Nunca as ouvi.
O ar que passava por entre os teus dentes rectos e pela tua língua determinada e que me trariam documentos preciosos, nunca passou. Sentimentos teus em palavras que não deitas ao vento e por isso nunca foram espalhadas para mim.
Apenas te tive, deitada em mim. Calada.

Adeus. Adeus.

Agora leio a palavra que nunca quis ouvir de ti. Nem isso me deste de ti. E caminho nas ruas que passam por mim porque a tua palavra aprisiona os meus olhos a ti, enquanto me liberta, triste de mim.
Palavra, que nem em sonhos sonhei. Serei um pouco do nada. Um corpo que vagueia no desassossego arrastando os pés pela estrada com medo do teu ponto final. Com receio da tua caligrafia, vazia de nós. Um corpo desabitado que passeia com um papel preso entre as mãos assustadas e que me dificultam a tua leitura. Porque não te quero ler.
Tive-te antes de te ler que te perdi.
E nestas esquinas perco-me sem ti. Só com a tua palavra última.

Adeus. Adeus.

Palavra, que me sinto nu. De ti. E essa tua palavra soa-me a um pouco do nada.
Palavra, que me traz sentimentos vazios de amor. Vazios de mim.
Porque sem ti sou um pouco do nada.
Palavra, que me trouxeste repouso.
Deixaste-me sozinho com uma palavra, que eu queria invisível.
Que eu queria calada.
Sem leitura.
Pobre destinatário de mim, desertado por ti.

Adeus. Adeus.

Sou poeira ou apenas uma folha desolada no vento da madrugada.
E de ti, levo um pouco do nada.

14 Comments:

At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Anonymous Anónimo said...

Gostei mt Zof, bjks, adoro o que escreves, emocionas-me sp... mig

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Luisa Seabra said...

hum...casava-me com o gajo q me dissesse isto...ahahahah!
beijinhos Sof, gosto muito do q tu escreves!

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Joao de Portugal said...

Pq é q desta vez escreves no masculino?
by the way, tá sublime !!!!

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Luisa, também curto muito o teu blog amiga :)
Beijinhos.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

João :) nesta estória há uma pessoa que diz adeus à outra, e dado que eu sou mulher, para mim é sempre menos agressivo quando é a mulher que larga o homem ahahahaah... (que simpática).
Fora de brincadeiras, gosto de escrever no masculino. Para ser diferente. Também gosto de abordar certos aspectos que os homens normalmente procuram ou esperam de uma mulher. E para isso tenho de tentar pensar como um homem. Uma mera brincadeira literária.
Também gosto de falar de coisas menos vistas. Por exemplo, estamos bem mais habituados a que sejam os homens a entregarem o corpo sem se entregarem verdadeiramente. ;) A separarem o Amor da entrega física, muitos é somente isto que procuram... deixam o coracao numa prateleira desarrumada em casa e levam com eles apenas preservativos. Vazios.
Nesta estória é a mulher que nunca se deu. Deitou-se com ele sem nunca ter sido dele.
Ainda bem que é só uma estória. :)
E ainda que triste, é só uma estória.
Seja como for, a entrega física sem Amor parece-me sempre uma coisa triste.
Beijinhos João.

Já viram que também gosto de falar. Por favor, tenham cuidado com as perguntas que me fazem porque há dias em que consigo não parar de falar.
Não é Zé Diogo? ;)

Estou a ouvir uma música muito gira.

Tenho tido sonhos muito bons. Mas acabo por nem me lembrar do que tenho sonhado.
Na volta ainda não acordei. ;)

Beijinhos a todos os meus amigos e leitores ;) uns mais aplicados do que outros, uns mais espectadores do que outros, mas todos importantes. CUT THE CRAP SOFIA.

Ok... ;)


AMOR E SEXO
(Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor)

Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois
Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora.

;)
Amor e sexo?
Para ser sublime, um não deve viver sem o outro... ;)

;) Nem tive culpa, a música soou quando eu me ia despedir.

Adeus ;)

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Anonymous gato que ri said...

Não há dois sem três.

Este é só para dizer que gostei muito do que escreveste e que fiquei mesmo fã do blog ! (alguém lá a trás disse "cut the crap"??)
Bem (e bom), fica um beijinho.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Nuno Godinho said...

Palavras trocadas são palavras troçadas
Troças de ti como se de ti pena tivesses
Tu que a glória de existir insuflou
Com a Força que em poucos cabe
Com a Força que a poucos cabe

Zangas-te em vão contigo. A força da palavra está nas letras que a sustentam e não no som que dela emana. Pois o som, esse é caprichoso e, mesquinho, tergiversa inquieto. Zangas-te em vão contigo. Insulta o som, afugenta as sereias, enche de cera os ouvidos e olvida-te com a força que em ti escondes. Refrega contra o verbo e reconstrói a palavra, agora de dentro para fora, agora com a força (que tens) de quem decide a palavra que a palavra é. Troça da troca e canta. Mas canta que se oiça: Ensurdece as sereias.

Faz como digo e ouvirás
A palavra que nunca ouviste
Sussurrada não, gritada!
Não por ti mas por nós
Não pra ti mas pra nós

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Nuno! :) Escreve mais aqui.
Partilha, partilha.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Joao de Portugal said...

Obrigada pela tua resposta sofia, beijo gde.
amor é um e sexo é dois. curti a letra da música...apesar de não curtir música brasuca. bjoka p ti fico à espera de mais posts, já é a minha rotina

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Ah, não gostas de música brasileira. Bem, não podia ser de outro modo, João de Portugal. :P
Beijinhos.

 
At quarta-feira, 15 fevereiro, 2006, Blogger lex said...

Oi? :P ;)

 
At quinta-feira, 16 fevereiro, 2006, Blogger lex said...

Dei-me. Ofereci-me. Entreguei-me.
Dou-me. Ofereço-me. Entrego-me.
Dar-me-ei. Oferecer-me-ei. Entregar-me-ei.
Ontem. Hoje. Amanhã.

P.s: Amar não tem condicional.

 
At quinta-feira, 16 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Just love can change everything. ;)

 
At quinta-feira, 16 fevereiro, 2006, Blogger Zofia said...

Incondicionalmente.

 

Enviar um comentário

<< Home