11.28.2005

Deixo no papel palavras escritas por mim sobre ti

...quando o que eu queria era escrever no teu corpo o que sinto por ti.

15 Comments:

At segunda-feira, 28 novembro, 2005, Blogger Mak, o Mau said...

O que, no último caso, com o frio que está, teria que ser efectuado de modo assaz enérgico...

 
At segunda-feira, 28 novembro, 2005, Anonymous Mantorras said...

ando sem mto tempo para te deixar as minhas críticas estúpidas.
Portanto deixa-me que te diga q o q escreveste está bonito :D.

Ps - esta msg é pa presidente do blog, n é para o mac, pq o q o max disse esta engraçado e n bonito.
Rectifico. Até está bonito!

 
At terça-feira, 29 novembro, 2005, Blogger Zofia said...

Beijinho :)

 
At sexta-feira, 02 dezembro, 2005, Anonymous Anónimo said...

bem

 
At segunda-feira, 12 dezembro, 2005, Anonymous Lex said...

Por favor, assassina a minha curiosidade com uma shotword(copyright). O teu "muso" existe?


P.S: Este sábado, no Lux, entre uma cama e um pilar, encontrei alguém a dançar com paixão. Posso usar a palavra bailar? Apetece-me. Encontrei alguém a bailar com paixão.

 
At segunda-feira, 12 dezembro, 2005, Blogger Zofia said...

E a quem devo assassinar a curiosidade?

 
At terça-feira, 13 dezembro, 2005, Anonymous lex said...

A alguém que só te conhece dos textos que escreves. Gosto da intensidade com que o fazes. Gostaria de contextualizar a tua escrita, nada mais. Conheço pessoas que só escrevem qd estão apaixonadas por alguém "real". Outras, mais céu ao céu, encontram a sua fonte de inspiração na ideia de par ideal, ou par aspiracional(par que na realidade n conhecem). Onde é q tu te encontras? E atenção q aqui não há certo ou errado. É apenas uma curiosidade própria de pessoas como nós. Perdoa-me esta abelhudice, mas é superior a mim.

P.S: E sim, eu sei q a curiosidade matou o gato. Por isso, por favor, assassina-a, antes que ela se torne numa serial killer e também me mande desta para melhor. :)

 
At terça-feira, 13 dezembro, 2005, Blogger Mak, o Mau said...

Já eu, sou apenas o violinista romeno que toca em background, na esperança de uma choruda gorjeta...

 
At terça-feira, 13 dezembro, 2005, Blogger Zofia said...

E eu sou aquela que invariavelmente dá a tal gorjeta, mesmo que toques mal. ;) Como alguém disse e muitas vezes com toda a certeza... se nao der frutos, valeu a beleza das flores, se nao der flores, valeu a sombra das folhas, se nao der folhas, valeu a intencao da semente.

 
At terça-feira, 13 dezembro, 2005, Blogger Mak, o Mau said...

Se não der a semente, ninguém te mandou plantá-la em cimento...

lamento estragar o raciocínio poético, mas eu sou o que genericamente se chama um crápula...

 
At terça-feira, 13 dezembro, 2005, Blogger Zofia said...

Seu..... seu...... crápula.

 
At quarta-feira, 14 dezembro, 2005, Blogger lex said...

Pois eu sou um gigolô da escrita. Recebo dinheiro em troca de palavras e tenho receio de me envolver demasiado com elas. Como qualquer gigolô, apaixono-me com alguma facilidade por palavras bem torneadas, da mesma forma que sofro quando a paixão por elas acaba.
Sinto que um dia a paixão vai dar lugar a uma bonita história de amor. No entanto, este pode nunca deixar de ser, apenas, um devaneio de mais um gigolô.

I'm Just a gigoloWon't some sweet mamma
come and take a chance with me
cause I aint so bad And I'll sing out, sweet love songs
All of the time
She will only be, only be
Bip bozadee bodzee bop le bop I aint got nobody
oh and theres nobody cares for me
theres nobody cares for me Hummala bebhuhla zeebuhla boobuhla
hummala bebhuhla zeebuhla bop I ain't got nobody, nobody,
nobody cares for me
Nobody , theres nobody cares for me
I'm so sad and lonely,
oh lonely, oh lonely, lonely lonely Won't some sweet mama come and rescue me
cause I aint so bad And I'll sing out
sweet love songs
all of the time
she will only be, only, only, only only be
baby, sugar darling I aint got nobody baby
And there's nobody, there's nobody
there's nobody theres nobody
there's no one, there's no one
nobody, nobody, nobody
nobody cares for me

everywhere I go
people know the part
I'm playing Paid for every dance
selling each romance
Oh what their saying There will come a day
And youth will pass away
What will they say about me When the end comes I know
they'll say just a gigolo
Life goes on without me I'm just a gigolo, everywhere I go
people know the part I'm playing
paid for every dance
starting each romance
oh what their saying And there will come a day
And youth will pass away
What will they say about me When the end comes I know
They'll say just a gigalo
Life goes on without me Cause I aint got nobody
oh and theres nobody cares for me
theres nobody cares for me I'm so sad and lonely
sad and lonely sad and lonely

 
At quinta-feira, 15 dezembro, 2005, Anonymous TheGreatPretender said...

"Como qualquer gigolô, apaixono-me com alguma facilidade por palavras bem torneadas"
Acho fofo o carinho que nutres pelo dialecto das tribos de Lubumbachi...
"Hummala bebhuhla zeebuhla boobuhla
hummala bebhuhla zeebuhla bop"?

Santinho :D

 
At sexta-feira, 16 dezembro, 2005, Blogger Zofia said...

Se calhar devia mesmo mandar construir uma estátua em memória do Leitor Anónimo. ;)
Beijinhos :)

 
At sexta-feira, 06 janeiro, 2006, Anonymous TheGreatAnonymous said...

Se calhar devias pq eu mereço.
Beijinhos pequeninos :)

 

Enviar um comentário

<< Home