1.18.2006

A Belinha e o seu amor

Na parte de trás de um carocha. Osculam-se apaixonadamente. Mãos por todo o lado. De repente, ela fá-lo parar.
- Espera. Aqui não. – diz a Belinha. Saem do carro aos beijos e aos tropeções e entram no prédio onde ela mora. Galgam as escadas e ele ataca a miúda com mais beijocas.
- Espera. Aqui não – verbaliza a donzela enrubescida.
- Mas eu quero tanto, mas tanto, dormir contigo Belinha.
- Eu também – desaferrolhando um risinho acanhado. Continuam a escalar as escadas aos beijos, entram no apartamento, dirigem-se colados ao quarto dela. Ele abre a cama, deitam-se, dá-lhe um beijinho na testa e aconchega-a.
- Dorme bem amor.
- Tu também querido.
E dormem.

1 Comments:

At quinta-feira, 15 junho, 2006, Anonymous snark said...

e viveram felizes para sempre

 

Enviar um comentário

<< Home